quarta-feira, 21 de abril de 2010


Histórico da Escola Municipal Professora Áurea Cordeiro

A Escola Municipal Professora Áurea Cordeiro, situada na Rua Juvenal Guimarães, nº 390, Centro – Tanquinho - Ba, foi fundada em 1969 e começou a funcionar em 1970 com o nome Grupo Escolar Professora Áurea Cordeiro, em homenagem a uma professora do município com este nome. Era mantida pelo estado e composta de 04 salas de aula, secretaria, 01 sanitário para os professores, 01 depósito, 01 cantina com depósito anexo à mesma, 04 sanitários e 01 banheiro para alunos. Funcionava apenas de Educação Infantil à 4ª série do Ensino Fundamental. Na década de 80 a escola passou pela primeira ampliação, passando a atender até a 8ª série do Ensino Fundamental. Em 1993 passou pela segunda ampliação, com a construção de um pavilhão anexo à mesma, com 03 salas de aula, 03 sanitários e uma área coberta.
Com as novas mudanças na educação determinada por ato legal, no ano de 2004 a escola passou pelo processo de municipalização do ensino, atendendo apenas de Educação Infantil à 4ª série, o que influenciou o nome da instituição, passando a se chamar Escola Municipal Professora Áurea Cordeiro. Em 2005, foi implantado a EJA I e EJA II – modalidade de Educação de Jovens e Adultos, sendo que a EJA II funciona na Escola Josaphat dos Reis Lima, no Povoado do Noventa na zona rural, como extensão da Escola Municipal Professora Áurea Cordeiro.
Vale ressaltar os nomes das pessoas que passaram pela direção desta escola:
- Heloisa
- Teresa Norma Cerqueira Ferreira
- Vanda
- Popeya Crescínia
- Maria Witan Watanabe Guimarães
- Dussivaldo de Brito Lima
- Maria Hildene Souza
Além de atender a sua clientela pedagogicamente, a mesma está disponível para a comunidade na realização de eventos, oficinas, encontros religiosos e aulas de esportes. Tudo isso no sentido de promover a inclusão social.
A escola hoje atende uma clientela de baixo nível socioeconômico, sendo que parte dela depende quase que exclusivamente da bolsa família. Isto pressupõe que as famílias atendidas por esta instituição escolar são carentes, algumas morando em residências precárias, sem saneamento básico e sem higiene adequada.
As atividades econômicas destas famílias estão ligadas à agricultura de subsistência, “bicos” e trabalhos domésticos, tendo uma remuneração mínima, favorecendo a exclusão social em relação aos meios de comunicação, lazer, esgoto, alimentação e escolarização adequada.
Por conta destas dificuldades que as famílias enfrentam, a escola trabalha em parceria com o Serviço de Saúde do município, viabilizando profissionais de saúde até a escola, possibilitando uma ação preventiva com aplicação de flúor e palestras educativas, visando um atendimento de qualidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário